Cabernet Sauvignon, a mais importante uva tinta

0
1761

Cabernet SauvignonCabernet Sauvignon é sem dúvida a mais importante das uvas tintas internacionais. Embora a Merlot tenha assumido recentemente a primeira posição e se tornado a mais plantada das uvas tintas, a Cabernet Sauvignon produz os maiores volumes de vinho mais desejados.

Com a descendência de Sauvignon Blanc e Cabernet Franc, a conquista dos vinhedos do mundo pela Cabernet Sauvignon tem sido muito rápida.

Áreas de Plantação Primária

Seria quase mais fácil listar os lugares onde ela não cresce do que descrever todas as regiões em que se encontra. No entanto, a uva tem um território identificável, por isso é melhor começar por aí.

A uva no vinhedo

A Cabernet Sauvignon é nativa da região de Bordeaux, sudoeste da França, e é lá que ela produz alguns dos seus mais procurados e memoráveis vinhos. Embora a variedade possa ser encontrada em todo sudoeste da França, é, em especial, os vinhedos do Médoc (margem esquerda do estuário do Gironde) que tem hospedado a uva.

O clima temperado da região combinado com solo pedregoso e bem drenado permite que a casta amadureça na maioria das safras. Ainda mais especificamente, um quarteto de pequenos municípios ribeirinhos do Médoc sul produzem alguns dos vinhos mais cobiçados do mundo. As comunas de Pauillac, St-Estephe, St-Julien e Margaux são o lar da mais famosa Chateaux da França. Mais ao sul, a comuna de Pessac-Léognan no distrito Graves também estabeleceu uma boa reputação de Cabernet Sauvignon.

No novo mundo, a Cabernet Sauvignon ocupa posições de destaque na maioria das regiões quentes. Costa norte da Califórnia tem mostrado uma afinidade particular com a casta, especialmente no Napa Valley. Esta pequena área conseguiu tornar-se o garoto propaganda para o vinho americano em geral de Cabernet Sauvignon, em particular. Em pequenas comunidades, como Rutherford e Oakville, a uva atinge altos níveis de maturação e produz bons vinhos de sabor frutado.

Outra região do novo mundo que tem desenvolvido uma boa reputação é o Sul da Austrália, Coonawarra. Esta região interior tem um clima moderado que permite que a casta amadureça corretamente produzindo expressões elegantes da variedade.

Áreas de Plantação Secundária

Ambas Itália e Espanha têm encontrado sucesso com a variedade, embora apenas em certas regiões pequenas, de alta qualidade. Na região da Catalunha em Penedès – Espanha, a Cabernet Sauvignon produziu boas quantidades de bons vinhos. O mesmo se aplica mais ao oeste na região importante de alta qualidade, Ribera del Duero.

Cabernet Sauvignon

Na Toscana, a Itália também produz muitas vezes excelentes vinhos em pequenas produções, a mais famosa na região de Bolgheri.

Cabernet Sauvignon é amplamente plantada no resto da Europa e no Norte da África, e mostra-se tanto como um vinho varietal ou um componente de misturas em países como a Grécia, Líbano, Romênia e Bulgária,

Também é a uva tinta mais plantada na África do Sul e é de enorme importância para a indústria do vinho no Vale Central do Chile.

Nos Estados Unidos, é importante na região da costa norte da Califórnia em Sonoma. A uva é encontrada em vários outros estados norte-americanos, mas depois da Califórnia é talvez mais bem sucedida no estado de Washington.

Cabernet Sauvignon é a uva de vinho mais plantada na China, onde tem produzido alguns vinhos intrigantes.

Porque é a uva mais plantada no mundo?

Uma das razões para o sucesso extraordinário da Cabernet Sauvignon nos vinhedos do mundo é a relativa facilidade com que é cultivada. Os galhos resistentes da própria videira permite facilidades na colheita mecânica e boa resistência a extremos de calor e frio. A boa resistência a doenças da videira dá aos produtores certo conforto.

Cabernet Sauvignon

Parte da razão da impressionante resistência à doença da Cabernet Sauvignon vem da espessura das cascas nas bagas. Pequena e de cor azul-escuro, a Cabernet Sauvignon é notória para as pequenas quantidades de suco que cada baga produz.

Ela também é bem adaptável a solos diferentes. Os solos em que se tem produzido historicamente seus melhores vinhos são os cascalhos quentes e bem drenados do Bordeaux e da costa da Toscana, o barro rico em ferro sobre pedra calcária encontrado em Coonawarra, e o aluvião variável do Napa Valley. São todos superficialmente diferentes. O que todos eles compartilham, no entanto, é uma boa drenagem e boa retenção de calor.

A durabilidade que a Cabernet Sauvignon mostra nos vinhedos também se mostra na vinícola. A elevada proporção de rendimento de suco contra conteúdo de cascas nos mostos da Cabernet Sauvignon protege a variedade melhor do que a maioria contra os efeitos negativos da oxidação. Isto permite tempos de longa maceração para extrair grandes quantidades de cor, sabor e taninos.

Porque a Cabernet Sauvignon é a uva que produz mais vinhos?

Quando a fermentação está completa, a uva continua com sua forma durável. Mais do que a maioria das outras variedades, a casta é capaz de passar longos períodos de tempo em pequenos barris de carvalho, sem oxidar de forma prejudicial ou ser dominada pelos sabores da madeira. Poucas variedades compartilham afinidade natural da Cabernet Sauvignon com os sabores fornecidos pelas barricas novas de carvalho. Os sabores de baunilha, cedro, e especiarias que vem da madeira são aromas particularmente comuns e desejáveis em algumas das melhores expressões do mundo da variedade, tanto que muitos degustadores associam esses aromas com a própria variedade.

A Cabernet Sauvignon é também uma variedade para misturas de grande importância. Muitas vezes é o componente principal como, por exemplo, nos vinhos da margem esquerda de Bordeaux onde faz frequentemente parceria com Merlot e Cabernet Franc, ambos os quais oferecem sabor frutado para o vinho puro. Mas também é muitas vezes um componente de apoio, dando estrutura, cor e sabor frutado a muitas variedades diferentes – Tempranillo na Espanha, Sangiovese na Itália, Shiraz na Austrália.

A durabilidade da Cabernet Sauvignon pode se transportar para dentro da garrafa, e alguns dos melhores são capazes de evoluir ao longo de décadas.

Clima

Por ter um ciclo vegetativo longo, seus melhores resultados são em regiões de climas mais quentes ou temperados. Em regiões onde o verão é curto ou em anos frios, a Cabernet Sauvignon não consegue amadurecer bem e pode gerar vinhos desequilibrados, com aromas herbáceos mais acentuados e taninos mais duros.

Solo

Os solos onde ela mais se destaca, gerando os melhores vinhos, são os solos de cascalho quente e bem drenados como os encontrados em sua região de origem, Bordeaux.

O barro rico em ferro sobre pedra calcária, conhecido como “Terra Rossa” encontrado em Coonawarra, e o aluvião variável do Napa Valley também demonstraram-se perfeitos para o amadurecimento da Cabernet Sauvignon.

Embora sejam solos completamente diferentes em sua formação geológica, todos eles compartilham de um ponto em comum que é crucial para o desenvolvimento e amadurecimento do Cabernet Sauvignon: a retenção de calor e a ótima drenagem de água.

O Vinho Cabernet Sauvignon

Cabernet Sauvignon é tipicamente de cor escura. Roxos intensos e rubis profundos dominam o aspecto de cores. Com o tempo, essas cores evoluem para granada.

Mesmo quando misturada com outras variedades, os aromas distintos da Cabernet Sauvignon parecem dominar.

vinho tinto

Os aromas de frutas negras quase sempre são associados com a variedade: cereja preta, amora, e acima de tudo, groselha (cassis).

Estes aromas de frutas são frequentemente acompanhados por aromas agradáveis de vegetais como hortelã e eucalipto, e por aromas menos agradáveis de pimentões.

Quando envelhecida em carvalho ganha aromas de baunilha, cedro, chocolate amargo, balas toffee e café.

Com o passar do tempo, podem ter aromas de fumaça, torrada, tabaco e caixa de charuto, particularmente quando o vinho tem envelhecido por alguns anos.

A Europa Oriental tem produzido algumas versões doces interessantes de Cabernet Sauvignon, mas a maioria são secos. Na estrutura, o vinho tende a ser de médio a alto para cada elemento-tanino, acidez, corpo e álcool.

Harmonização

Queijos duros, salame, presunto crú e castanhas, a melhor combinação é escolher um vinho mais tânico ou até mesmo com passagem de carvalho.

Sabores mais fortes devem ser acompanhados de bebidas intensas.

tabua de frios - cabernet-sauvignon

Grandes exemplares do vinho harmonizam muito bem com carnes pesadas, como os cortes bovinos e ovinos.

O bife Ancho, o Stinco de vitelo e o Carré de cordeiro são ótimos exemplares. Risotos e massas com molho vermelho também equilibram bem o sabor.

Stinco de vitelo
Stinco de vitelo com Risoto a milanesa – Rosmarino

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here