Tipos de Garrafas de Vinho

0
514

A história do local onde guardamos nossa querida bebida.

Quando vamos ao mercado ou a lojas de vinho, notamos diversos tipos de garrafas de vinho. Mais do que simples recipientes, as garrafas apresentam formatos diferentes visando à conservação das características da bebida.

Todos os tipos de garrafas de vinho são compostos por gargalo, pescoço, ombro, bojo e base.

Mais do que oferecer praticidade para servir, cada parte está envolvida em um importante processo para que o vinho chegue até você bem conservado em sabor e qualidade.

Gargalo
É a parte superior da garrafa (que fica acima do pescoço) e possui duas funções principais. Reforçar a estrutura onde será colocada a rosca, impedindo que o lacre se rompa com mais facilidade e servir como sustentação, caso a garrafa escorregue da sua mão. A elevação cilíndrica serve como um bloqueio, e impede a garrafa de cair.

Pescoço
Serve como uma espécie de funil para facilitar a descida do vinho até a taça.

Ombros
São como uma barreira para os sedimentos (borra) que geralmente existem em vinhos maduros. Quanto mais acentuados são os ombros, maior sua capacidade de barrar esses sedimentos, impedindo que eles acabem dentro de sua taça.

Bojo
É basicamente o corpo da garrafa, aquela parte pela qual a seguramos.

Base
É a parte que sustenta a garrafa de pé. Na maioria das vezes, ela possui uma concavidade na parte inferior, que possui a função de decantação, fazendo os sedimentos se depositarem na base e eles dificilmente conseguem subir novamente até a superfície.

Apesar de existirem marcas contemporâneas mais ousadas quanto ao formato da garrafa, podemos classificar alguns padrões. Estes são relacionados à região específica de cada vinho. Confira abaixo:

Bordalesa 

E um dos tipos de garrafas de vinho mais tradicionais, sendo encontrado na maioria dos rótulos vendidos no Brasil e no mundo. É o modelo mais adequado às bebidas que ficam muito tempo armazenadas nas adegas. Isso porque os ombros altos retêm melhor os resíduos de uva acumulados.

Serve tanto os tintos quanto os brancos, com exceção dos Chardonnay e Pinot Noir.  Já uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, por exemplo, são originários da região de Bordeaux e, por isso, levam este formato. O vinho ainda pode apresentar a garrafa verde ou transparente.

 

Borgonhesa

Este modelo em formato quase cônico é usado mundialmente para sinalizar uvas típicas de Borgonha, como a Pinot Noir e Chardonnay. Possui ombros baixos e bojo mais largo, com cor predominantemente verde. É oposta a Bordeaux, já que seus vinhos não costumam formar sedimentos.

Rhône

A rhone, típica da região francesa do mesmo nome, muito semelhante a anterior porém mais fina e com os ombros mais quadrados.

 

 

 

 

 

Champagne

Trata-se da clássica garrafa para espumantes. Muito semelhante à Borgonhesa, porém com ombros baixos e longo pescoço. Possui vidro mais espesso para conter a pressão interna. Apresenta também um repuxo acentuado a fim de proporcionar mais resistência. A rolha cilíndrica toma a forma de um cogumelo devida à absorção do dióxido de carbono contido na garrafa.

Alsacianas ou Renanas

Mais comum para uvas alemãs, é usada exclusivamente para vinhos brancos. Este tipo de garrafa de vinho possui forma de flauta, com corpo mais alongado e sem ombros. Também chamado de Renana, ele pode ser encontrado nas cores verde, caramelo e azul. Este padrão é usado, por exemplo, por vinhos Riesling ou Gewürztraminer.

 

 

 

Do Porto

A garrafa de vinho do Porto propicia seu envelhecimento nas adegas, pois seus ombros acentuados e pescoço volumoso auxiliam na retenção das borras. Além de ser mais baixa, ela contém vidro grosso e escuro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here